Petrópolis vai homenagear Fernando Fernandes

O agente da Defesa Civil Fernando Fernandes de Lima, morto na madrugada do dia 17 de março, quando resgatava pessoas soterradas por barreira, foi homenageado pelos vereadores, com aprovação de projeto que passa a dar o seu nome à antiga Rua Chile. Realizada no Clube Dom Pedro, na Castelânea, no projeto Câmara nas Comunidades, a sessão contou coma presença de familiares e amigos de Fernando, além dos agentes da Defesa Civil, entre eles o coordenador, tenente-coronel Rafael Simão. Os pais de Fernando – Gilmar Amaral Lima e Edna Fernandes Lima – participaram da sessão e ficaram emocionados com os vereadores, que aprovaram o projeto por aclamação, ficando todos de pé, assim como as pessoas que acompanhavam a sessão. O autor da iniciativa, vereador Anderson Juliano (PT), disse que a proposta de alterar o nome da Rua Chile para Rua Fernando Fernandes contou com apoio de vários moradores e comerciantes do local, manifestado através de uma baixo-assinado, que serviu também como uma consulta.

Ele frisou que dar o nome de Fernando a uma rua é uma pequena homenagem que a cidade pode prestar a “este nosso herói, que mesmo sabendo dos riscos, tinha como meta salvar vidas”. Para o presidente da Câmara, vereador Paulo Igor (PMDB), “a alteração do nome da Rua Chile para Rua Fernando Fernandes de Lima é uma homenagem, porém pequena, se comparada ao tamanho da dedicação dele na Defesa Civil”. Outra homenagem prestada pelos vereadores ao agente Fernando Fernandes foi a aprovação do projeto que cria a Secretaria Municipal de Proteção e Defesa Civil, mantendo os vetos do Poder Executivo. O tenente coronel Rafael Simão, que vai assumir o cargo de secretário, manifestou seu contentamento pela aprovação do projeto em função da importância da Secretaria para Petrópolis. Os vereadores aproveitaram a aprovação dos dois projetos para ressaltar a importância da Defesa Civil para Petrópolis, devido às contantes tragédias causadas pelas chuvas.

O presidente da Câmara acredita que a partir da implantação da Secretaria de Proteção e Defesa Civil será possível criar uma nova cultura na cidade, “a cultura da prevenção”. Um dos vetos do prefeito foi contra a emenda dos vereadores que determinava a contratação de funcionários para a nova secretaria pelo regime CLT, o que, segundo o Poder Executivo, criaria problemas futuros e por isso vetou este trecho da emenda, mantendo a obrigatoriedade de realizar concurso público. Paulo Igor disse que o veto não alterava em nada o projeto e muito menos a intenção dos vereadores de que os cargos da secretaria sejam ocupados por concursados. O futuro secretário da Defesa Civil do Município, tenente coronel Rafael Simão, afirmou que “hoje a Câmara Municipal dá um exemplo de como é importante os poderes trabalharem em harmonia e de forma integrada. Gostaria de destacar que a Câmara ouviu a Defesa Civil durante todo o processo. Gostaria também de agradecer à minha incansável equipe de colaboradores”.

(Fonte: Tribuna de Petrópolis)

Comentários