terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Sambódromo do Rio apresenta falhas de segurança

Cenário principal do Carnaval carioca, o Sambódromo do Rio apresenta falhas de segurança nas principais áreas de circulação do público. Jaques Sherique, diretor de segurança do Clube de Engenharia do Rio, visitou o local do desfile das escolas de samba, onde constatou problemas em todos os setores: arquibancadas, camarotes, frisas e na pista da Marquês de Sapucaí. Apesar de elogiar a estrutura do sambódromo, o especialista identificou pontos vulneráveis como o gradil lateral das arquibancadas, que não oferece a proteção necessária para o público. "De uma maneira geral, o sambódromo é seguro por ser um lugar aberto, todo em concreto, o que dificulta a propagação de fogo. Mas alguns pontos precisam ser corrigidos", alertou Sherique.

O engenheiro criticou o uso de espumas e plásticos na ambientação dos camarotes. "Esse tipo de material queima com velocidade produzindo gases tóxicos, exatamente como ocorreu na boate em Santa Maria", comparou o especialista, que observou a montagem dos espaços na área nobre do sambódromo. "Deveriam proibir o uso de materiais altamente combustíveis na decoração dos camarotes", afirmou Sherique. Ele sugeriu o uso de materiais derivados do alumínio em ornamentações do gênero. "A resistência à combustão do alumínio é muito mais alta, o que aumenta consideravelmente a proteção do ambiente. Além de não produzir gases tóxicos", disse. Outro erro foi constatado nas saídas de emergência existentes nas laterais da avenida Marquês de Sapucaí. No lado direito da via (no sentido Praça da Apoteose), vários portões, previstos como área de escape, foram fechados com solda.

(Fonte: UOL)

Nenhum comentário:

Postar um comentário