Eleições: afinal quem vai para o segundo turno?


A desembargadora Letícia Sardas, vice-presidente do TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral), determinou que o segundo turno em Petrópolis, na região serrana do Rio, seja disputado entre Bernardo Rossi (PMDB) e o atual prefeito Paulo Mustrangi (PT). A ordem anula a determinação do juiz eleitoral Alexandre Teixeira, que, na semana passada, havia retirado a impugnação ao registro de Rubens Bomtempo (PSB). O candidato do PSB fazia campanha nas ruas até esta segunda-feira (15).

Bernardo Rossi, Rubens Bomtempo e Paulo Mustrangi: o imbróglio eleitoral continua...
Bomtempo foi o pivô de todo o imbróglio criado em Petrópolis. Ex-prefeito da cidade, entre 2001 e 2008, ele teve o registro negado por improbidade administrativa. Segundo o TRE-RJ, o Tribunal de Contas do Estado rejeitou os balanços fiscais de sua última gestão. Por isso, os 50.230 votos que o garantiriam na segunda posição não foram validados, abrindo o caminho para Mustrangi, que ficou em terceiro, com 45.060. O TSE ainda julgará o recurso do PSB.

Embora Bernardo Rossi tenha terminado como líder na preferência do eleitorado no primeiro turno (52.951 votos) e seja o único com a situação definida, foi a coligação do peemedebista a responsável pelo mandado de segurança acatado pela desembargadora. A justificativa dada foi a de “não correr o risco de o resultado da eleição ser anulado lá na frente”. Isso porque o pleito sub judice dá margem para que as eleições sejam canceladas mesmo após a votação do próximo dia 28.

Em seu site de campanha, Rossi reagiu com naturalidade à decisão.

— Para mim, não muda nada. Vou continuar minha campanha apresentando minhas propostas. A única certeza que tenho é que fui o mais votado e não tenho nenhum problema com o registro da minha candidatura.

(Fonte: Portal R7)

Comentários