Novas empresas e os mesmos problemas no transporte

O início da operação dos novos ônibus da empresa Turb Transportes Urbanos vem sendo  marcado por antigos problemas e atos de vandalismo. Três dias após entrar em circulação, o veículo que faz a linha Calembe já estava com os bancos pichados e os moradores do Bairro da Glória ficaram sem ônibus na noite de segunda-feira, devido à quebra de um veículo no ponto final da comunidade. Além disso, várias linhas operadas pela Turb apresentaram atrasos de até 40 minutos. Outro fato também identificado neste início da operação e que está sendo comemorado pelos usuários é a falta de validadores em alguns coletivos. Devido à ausência do aparelho, os passageiros que usam o cartão eletrônico estão embarcando nos ônibus de graça. A “gratuidade” está beneficiando os moradores do Caititu, Vista Alegre, Bairro da Glória e Águas Lindas (linha executiva).

A moradora de Corrêas Juliana Pimentel conta que já economizou R$ 6 nestes dois dias. “Enquanto não estiver funcionando vou andando de graça. Tá muito bom”, disse. Segundo a assessoria da Turb, os passageiros que utilizam as linhas atendidas pelos coletivos que apresentaram problemas nos validadores continuarão embarcando gratuitamente nos veículos até que as falhas sejam resolvidas. A falta dos validadores também causou transtornos para os estudantes que têm direito à gratuidade. Segundo denúncias, alguns alunos tiveram que pagar a passagem para embarcar no coletivo que faz a linha Araras. Segundo a assessoria da Turb, a orientação aos cobradores era permitir a entrada gratuitamente de todos os passageiros (estudantes ou  não) que utilizem o Riocard. Ainda de acordo com a assessoria, caso o valor da passagem for cobrado é preciso realizar uma denúncia na empresa ou na Companhia de Trânsito e Transportes (CPTrans).

Segundo a assessoria da empresa, os problemas ocorridos nestes primeiros dias de operação se devem à falta de estrutura da garagem improvisada e à necessidade de cumprir o contrato (de acordo com o edital de licitação os ônibus deveriam entrar em circulação 30 dias após a assinatura do contrato). “Estamos tentando equacionar todos os problemas. E é importante ressaltar que a prioridade é colocar as linhas em operação e atender a população”. Segundo a assessora de imprensa do Sindicato das Empresas de Transporte de Petrópolis (Setranspetro), Carla Rivetti, os atrasos não ocorreram apenas nas linhas operadas pela Turb, mas em todo o sistema de transporte coletivo do município. “É importante dizer que a idade da frota ou a qualidade dos veículos não garante a pontualidade do sistema. Os novos ônibus trarão mais conforto e segurança, mas a pontualidade das linhas depende de políticas de transporte que garantam mais fluidez ao trânsito. Atrasos vão ocorrer, com ônibus novos ou não”, ressaltou a assessora.

(Fonte: Tribuna de Petrópolis)

Comentários