Petrópolis quer resgatar a sua tradição no Voo Livre

Pista do Parque São Vicente: uma das mais belas da Região
O vereador petropolitano, Albano Filho, o "Baninho" (PSD) está intermediando uma parceria entre o Petrópolis Voo Clube e a Concer, concessionária que administra a BR-040, para concretizar uma nova pista de pouso na descida da Serra, já no município de Xerém. Neste domingo (22), um vôo experimental com decolagem em Petrópolis e pouso na cidade vizinha mobiliza dez pilotos de asa-delta, em uma manifestação em prol do projeto. A ação também visa testar as condições de segurança do local. O esporte – que reúne praticantes de asa-delta e parapente – reúne mais de 50 atletas em Petrópolis. A cidade também recebe pilotos de outras localidades, porém, no momento a atividade é praticada informalmente devido a precariedade dos locais de pouso. A homologação da nova pista possibilitará a retomada de atividades como os campeonatos, que têm grande importância para o turismo e o lazer na região.

Baninho acredita que a Concer deve estar integrada à Petrópolis e este é um investimento em responsabilidade social. - Eles exploram a principal via de acesso a cidade, então é justo que colaborem com iniciativas como esta que vai atrair visitantes e estimular um esporte que já tem tradição no município –, pontua Baninho. O terreno que deve ser alugado fica perto da balança de pesagem de veículos no quilômetro 98, área de responsabilidade da concessionária. - A realização das competições é extremamente positiva para Petrópolis, que já é privilegiada por ter as duas rampas de vôo livre com as melhores condições de acesso do estado. A rampa do Siméria já recebeu melhorias e foi limpa recentemente, e o mesmo será feito no Parque São Vicente (foto). Agora precisamos de locais adequados e seguros para o pouso dos pilotos –, pontua Baninho.

Marco Antonio Damico, que é membro do Petrópolis Voo Clube, ressalta que a cidade tem vocação para o esporte, oferecendo saltos de até 900 metros de altitude. Segundo ele, o objetivo do grupo é resgatar a prática da atividade na região, que já trouxe grande torneios para as pistas de Petrópolis. - Um campeonato nacional, por exemplo, envolve diretamente uma média de 200 pessoas, sem contar familiares, amigos e amantes do vôo livre. A proximidade com o Rio, o fácil acesso às rampas (Siméria, Morin e Parque São Vicente) e as excelentes condições térmicas e de vento são pontos que não podem ser desperdiçados -, afirma Damico.

Além da nova pista de pouso em Xerém, outras questões ainda precisam ser resolvidas para que o esporte volte a ser uma atividade tradicional na cidade. O local de chegada dos pilotos que saltam da rampa do Siméria fica em outro município vizinho, em Fragoso, Magé. O local também necessita de melhorias, o que está sendo discutido entre o prefeito da cidade, Nestor Vidal, Baninho e os representantes do Petrópolis Voo Clube. Em conversa com o vereador, o prefeito se comprometeu a melhorar a infraestrutura do terreno, o que já foi iniciado com a limpeza do espaço. Segundo Damico, há 4 anos a atividade perdeu força na cidade por falta de apoio e investimento.

(Fonte: Gazeta das Cidades)

Comentários

ARQUIVOS DA GAZETA

Mostrar mais